Gatilhos mentais: o que são e porque você deve usar na sua estratégia de marketing

Gatilhos mentais: o que são e porque você deve usar na sua estratégia de marketing - Pezzo

O termo “gatilhos mentais” tem sido muito utilizado, principalmente quando falamos em estratégias de marketing e vendas. Apesar do nome, não se trata de nenhuma manipulação, e sim de uma técnica simples de psicologia.

Nós, seres humanos, somos movidos a estímulos e motivações que, quando ativados, conduzem-nos a uma determinada ação. Utilizar a estratégia dos gatilhos mentais nada mais é do que saber estimular corretamente a mente humana para que ela realize uma ação desejada – como a de vender, por exemplo.

Para tornar essa técnica uma poderosa arma de persuasão, é necessário entender profundamente os seus clientes e, principalmente, os critérios que o fazem optar por um determinado produto, marca ou empresa.

E como isso funciona? Confira no post!

Afinal, o que são os gatilhos mentais?

Os gatilhos mentais são estímulos que despertam alguma sensação, podendo ser através de um cheiro, uma imagem, uma música ou qualquer outro estímulo sensorial. No caso do marketing, muito se trabalha com sons e palavras. Por ser psicológico, pode vir de experiências pessoais, sociais (estímulos do dia a dia) e biológicos (coisas que são cognitivas e nossas por nascença).

Do momento em que acordamos até o momento em que vamos dormir, somos expostos a muitas possibilidades de escolha. Muitas delas, nem percebemos – realizamos de maneira automática em nosso dia a dia. Mas todas as nossas decisões têm dois aspectos: o racional e o emocional.

Essas decisões tomadas pelo nosso cérebro, com base em critérios instintivos e/ou emocionais é o que chamamos de gatilho mental. É o nosso sistema nervoso filtrando pela melhor escolha da forma mais rápida possível.

Veja também:  Neuromarketing e o comportamento do consumidor

Exemplos de gatilhos mentais

Existem alguns tipos de gatilhos mentais que consequentemente, podem auxiliar a despertar o desejo de compra dos consumidores. São alguns deles:

#1 Escassez

É fato: as pessoas morrem de medo de perder algo. Para o ser humano, perder dá uma sensação muito pior do que deixar de ganhar. Por isso, vemos com frequência esse tipo de gatilho sendo utilizado como instrumento de venda, em frases como “aproveite, últimas unidades!”, “últimas horas de oferta!”, “último dia para comprar!”.

Gatilhos mentais: o que são e porque você deve usar na sua estratégia de marketing

#2 Urgência

Com a mesma lógica da escassez, a urgência é a falta de tempo. Notamos isso nas embalagens ou produtos de “edição limitada” ou na clássica ação da Black Friday. Muitas vezes, você nem está precisando adquirir aquilo realmente, mas só pelo fato de ter um prazo e estar o atingindo, o seu cérebro cria uma urgência em tomar uma ação imediata.

Gatilhos mentais: o que são e porque você deve usar na sua estratégia de marketing

#3 Novidade

Quem não gosta de ter algo que é novidade, de descobrir coisas novas? Vemos muito disso na compra de smartphones: assim que acontece um lançamento, o produto já vira desejo. Explorar isso com seus produtos ou serviços é uma boa estratégia!

https://www.youtube.com/watch?v=cVEemOmHw9Y

Gatilhos mentais: o que são e porque você deve usar na sua estratégia de marketing

#4 Curiosidade

Dar uma pequena prévia do assunto para despertar a curiosidade do consumidor é uma técnica muito importante, ainda mais quando falamos de conteúdos de redação ou vídeo. Frases como “Descubra o segredo para emagrecer sem passar fome” por exemplo, nos auxiliam a reter a atenção do leitor/telespectador logo nos primeiros segundos.

#5 Prova social

As pessoas gostam de participar de coisas que outras pessoas estão participando. Esse gatilho ativa o desejo de “não ficar de fora” e se identificar, seja com um grupo de pessoas ou com um influenciador digital.

Podemos notar ele frequentemente através das redes sociais, recomendações em e-commerce ou em frases como “todo mundo vai”, “todo mundo já provou” ou “faça parte do grupo de mais de X pessoas que já experimentaram X serviço”.

Gatilhos mentais: o que são e porque você deve usar na sua estratégia de marketing

#6 Autoridade

Mostrar que você entende do que está falando, que é especialista e possui propriedade no assunto é outra técnica que funciona muito bem. As pessoas confiam em quem é autoridade. Quem nunca ouviu a frase “9 a cada 10 dentistas recomendam essa pasta de dente”? Apesar de ninguém conhecer os dentistas, o fato de ter sido experimentado e aprovado por profissionais já o torna mais atraente.

#7 Reciprocidade

Se você dá algo a alguém, a pessoa se sente na obrigação em retornar isso para você. Gerar valor ou dar algo ao outro em busca do retorno da ação desejada, é algo muito comum de se ver atualmente e funcionam muito bem, como exemplo dos e-books grátis, brindes por tantos reais em compra, etc.

Veja também: 7 estratégias de Marketing de Conteúdo para aplicar na sua empresa hoje

Os gatilhos mentais sempre serão uma boa estratégia para destacar o seu conteúdo e auxiliar você a alavancar vendas, mas não são milagrosos.

Para causar o efeito esperado, você precisa entender que além de utilizá-los na hora certa, será preciso realmente levar em consideração o seu público (seus problemas, medos, desafios) e entregar algo de valor para ele.

A construção da sua estratégia deve ser baseada na ética, caso contrário, vai aparecer apenas que você está manipulando pessoas para comprarem seu produto, o que irá prejudicar muito a imagem da sua empresa.

Na medida certa, os gatilhos irão trazer ótimas oportunidades de persuadir o seu target e, consequentemente, trazer mais negócios. 😉

Gostou do conteúdo? Ficou com dúvidas? Fique à vontade para deixar um comentário, vai ser um prazer te ajudar!

7 estratégias de Marketing de Conteúdo para aplicar na sua empresa hoje

7 estratégias de Marketing de Conteúdo para aplicar na sua empresa hoje - Pezzo

Conquistar a confiança do cliente antes de oferecer/efetuar a venda é a estratégia da vez. Justamente para isso, o Marketing de Conteúdo visa a entrega de informações relevantes para o cliente, cativando sua atenção e deixando uma marca na memória.


Marketing de conteúdo na prática

Que essa estratégia é um sucesso nós já sabemos, mas você sabe como aplicá-la na prática de maneira simples e super eficaz? Confira essas 7 estratégias de marketing de conteúdo para incluir hoje mesmo no seu planejamento:


#1 – Conheça o seu público e entregue o que eles procuram

Avaliar os dados das suas redes sociais permite que você possa produzir mais conteúdo baseado no que já deu certo. Os posts com maior engajamento indicam o que o seu público gosta na sua estratégia, vale ficar atento nessas informações.

Além disso, a criação de personas torna esse processo mais concreto e fácil de ser executado.

Saiba mais sobre a criação de personas (Rock Content).


#2 – Vá de testes!

Se você ainda não possui dados o suficiente para avaliar o que o seu público gosta, aposte nos testes. Diferenciar a maneira como as informações estão organizadas, a forma como o texto explica e o formato ajudam a entender o que funciona melhor. 

Uma boa opção são os testes A/B. Esses experimentos são realizados com o objetivo de comparar variáveis em estratégias de marketing, mostrando duas ou mais variações de um anúncio ao público, o que permite descobrir qual funciona melhor. Testar é crucial para aprender o melhor caminho no digital.


#3 – Alinhe o seu conteúdo com os seus valores

As crenças, atitudes e conceitos de ética que fazem a identidade da marca são os valores.

Manter um conteúdo coerente e que não os contradiga é primordial. Essa linha de raciocínio deve ser seguida e lembrada antes da produção de qualquer conteúdo da sua marca, por isso é importante ter os seus valores bem definidos.

Veja como conferir mais sobre os valores de uma empresa.


#4 – Varie os formatos

Nas mídias sociais, por exemplo, é possível entregar conteúdo escrito, em imagem, vídeo, gif, carrossel e por aí vai. Variar esses formatos, quando possível, torna o seu conteúdo mais atrativo, engajando mais clientes, e permite você entender o que pode dar mais certo.

É importante, também, lembrar que boa parte dos usuários navega mobile. Faça com que o seu assunto seja acessível tanto em computadores quanto nos celulares.  Assim como na dica #2, faça testes com vários pontos de contato.


#5 – Fique de olho na concorrência

Copiar a estratégia do seu concorrente pode prejudicar a sua entrega, o que não significa que você não deva estar atento ao que tem sido feito. A ideia de se manter a par da concorrência é acompanhar o que estão fazendo e ser mais esperto que eles.

Uma vez que definido quais são seus concorrentes mais fortes, fique de olho no que eles têm feito e procure alternativas para ir além daquele conteúdo.


#6 – Títulos magnéticos

Os títulos com apelo emocional ajudam (e muito!) a impulsionar o seu conteúdo. Além de tocar o seu cliente, esses títulos fazem com que o seu público se sinta inspirado para compartilhar a informação.

Para isso, vale pesquisar sobre as palavras-chave relacionadas ao seu produto/serviço e desenvolver títulos mais intimistas. Faça o seu cliente sentir que foi feito especialmente para ele.

Alguns exemplos de como atrair a atenção do seu público com os títulos magnéticos:

  • Como acabar com a gordura localizada em um mês;
  • Não comece a sua dieta antes ler essas 5 dicas;
  • 7 erros bobos que você comete para conseguir emagrecer.

O Gustavo recentemente publicou sobre Neuromarketing e o comportamento do consumidor, esse conteúdo vai te ajudar.


#7 – Procure inspiração no lugar certo

Por último, mas não menos importante, você deve se inspirar em fontes confiáveis e de alta qualidade.

As informações que serão entregues precisam ser verídicas e bem apresentadas, fazendo que as pessoas realmente confiem no que está sendo dito. Quanto mais você compreender o seu público e entregar o que eles procuram, mais vai crescer a confiança e preferência deles por você. Inspire-se, mas não copie.


Conclusão

O mais importante para o Marketing de Conteúdo funcionar no seu negócio é alinhar todas essas estratégias e manter-se em constante evolução, tirar resultados e replicá-los. O que funciona hoje, pode não funcionar futuramente.

Aqui na Pezzo trabalhamos com estratégia, identidade, gestão e comunicação de marca.  Quer saber mais sobre o que a gente faz? Acesse O que e Como Fazer – Pezzo.

Unbound Marketing: uma estratégia de impacto

Unbound Marketing: uma estratégia de impacto - Pezzo

Uma nova metodologia? Não necessariamente. O Unbound Marketing é uma combinação das ações de Inbound e Outbound Marketing. Trata-se de uma estratégia abordada por meio das mídias sociais para auxiliar na construção de marca e no aumento das suas vendas.

Porém, antes de falarmos especificamente de Unbound, precisamos revisar os conceitos de Outbound e Inbound Marketing. Confira!


Quais são as diferenças entre Outbound e Inbound Marketing?


Costuma-se dizer que o Outbound e o Inbound são estratégias opostas. Enquanto no Inbound criam-se métodos para atrair os clientes em potencial, no Outbound, acontece a identificação desses perfis e o início da abordagem.

O Outbound Marketing acontece baseado na promoção de ações ativas que buscam a prospecção de clientes a partir dos meios tradicionais de mídia paga e interruptiva, como propaganda de TV e rádio, telemarketing, flyers, outdoors, malas diretas etc. O conceito foi expandido com as mídias digitais, que trouxeram ainda mais possibilidades de segmentação avançada e ações voltadas diretamente ao público, com o auxílio das ferramentas de mídia paga, por exemplo.

Já no Inbound Marketing, não temos o foco na interrupção, mas na atração dos clientes em potencial de forma indireta. Isso acontece através dos estágios baseados no funil de vendas: atração, conversão, venda e fidelização. Com essa estratégia, investe-se em SEO, marketing de conteúdo e produção de materiais para as redes sociais que promovem, organicamente, o tráfego do público-alvo para o seu site ou blog.

Simplificando:

  • no Inbound, o público é atraído pelo conteúdo e chega por si só até a marca;
  • no Outbound, a marca realiza a ação e vai atrás dos clientes em potencial.


Mas afinal, do que se trata o Unbound Marketing?


Unindo as técnicas de Inbound e Outbound, o Unbound Marketing tem o intuito de conduzir o cliente em potencial durante toda a sua jornada de compra, tanto de forma estimulada quanto orgânica.

As etapas incluem desde o momento da percepção do consumidor, quando ele percebe que precisa de algum produto ou serviço, estimulando a sua primeira busca atrás de informações nos buscadores, passando pela fase de compra e finalizando com a sua fidelização e encantamento pela marca, que promove o compartilhamento de experiências e, consequentemente, a conquista de novos consumidores.


E quais são as etapas do Unbound Marketing?

A ativação da estratégia de Unbound Marketing é dividida em 5 passos. São eles:


1. Awareness

Depois de obter conhecimento sobre o seu público em potencial, a sua jornada de compra e a experiência que o seu produto ou serviço oferece, é hora de aparecer.

Para isso, são utilizadas estratégias de mídia paga com o objetivo de alcance. A ideia é atingir o máximo de pessoas possível, com anúncios em buscadores (como o Google e o YouTube) e em mídias sociais como o Facebook e o Instagram.


2. Descoberta

Nesta etapa, o consumidor já foi estimulado e está interessado em pesquisar a respeito do seu produto, atividade que pode ser fundamental para a sua decisão de compra.

Pensando nisso, ainda mantemos o objetivo de alcance, porém combinando as estratégias de mídia paga com as de mídia orgânica. Mídia orgânica é a produção de conteúdo relevante que envolva o seu público. Ela pode ser em formato de publicação em suas redes sociais, blog ou qualquer outra plataforma digital.


3. Ação

Finalmente, chegamos ao momento em que o usuário é levado à ação de conversão. É nesta etapa que você deve capturar o contato do cliente em potencial. Dessa maneira, no futuro, você poderá convertê-lo em cliente. Isso pode acontecer desde o preenchimento de um formulário para obter um conteúdo rico até o momento da compra.


4. Experiência própria

Depois de adquirir o produto ou serviço, o cliente vai realizar testes e avaliar a sua experiência como consumidor. Quando temos uma experiência positiva, nos tornamos uma espécie de fã da marca que consumimos. Sentimos a necessidade de manter o contato e interagir com essa empresa. É assim que se inicia o processo de engajamento do cliente, essencial para chegarmos à próxima e última fase.


5. Experiência compartilhada

Por fim, a última etapa. Aqui, aproveitamos a impressão positiva deixada pela marca para estimular o consumidor a compartilhar as suas experiências com o produto ou serviço nas redes sociais.

Quando isso acontece, o cliente impacta todo o seu círculo de amigos e estimula novos clientes e novas compras. É importante lembrar que isso pode ser feito tanto de forma inteiramente orgânica como estimulada, por mídia paga.

Unbound Marketing: estratégia e suas 5 etapas
Unbound Marketing: estratégia e suas 5 etapas


De modo geral, a evolução do marketing apresentada pelo Unbound Marketing pode trazer ótimos resultados para a sua empresa. Entretanto, em cada etapa do processo, as ações devem ser criadas com ênfase no protagonista disso tudo: o seu consumidor. Dessa maneira, você faz com que os seus clientes se tornem promotores da sua marca.

Aqui na Pezzo, já utilizamos a metodologia de Unbound Marketing com diversos clientes. Fale com a gente e saiba como podemos ajudar também a sua marca!

O que é Transformação Digital?

O que é Transformação Digital? - Pezzo

A ascensão da Quarta Revolução Industrial, que está acontecendo atualmente, proporcionou o crescimento exorbitante de usuários conectados ao ambiente online. Foi neste meio em que surgiu a Transformação Digital. Novas ferramentas foram criadas pela necessidade de novos recursos para atualização dos métodos tradicionais das organizações.

Muitas empresas ainda não se adaptaram aos novos processos possibilitados pela era da informação, o que prejudica não só o crescimento, no que se refere a lucro, como também dificulta a expansão de novos canais. Esse novo método surge como grande aliado da comunicação e dos negócios, facilitando os métodos de compra e venda. Eventualmente, quem não se atualiza, fica para trás.

Entenda o que é Transformação Digital e veja como sair na frente!


Afinal, o que significa Transformação Digital?


A Transformação Digital surge como uma oportunidade de otimização de métodos e processos para as empresas. O que antes era arquivado em papel, por exemplo, hoje pode ser armazenado em computadores.

Em suma, migrar os métodos tradicionais para a internet/computadores possibilita uma melhor organização interna da empresa, novos recursos alinhados à comunicação e resultados mais satisfatórios — adaptando, assim, os modelos tradicionais.

O conjunto que engloba a atualização de processos, a mudança estrutural e o aumento do alcance é a base do que entendemos hoje como esse novo conceito.


Como ela gera resultados melhores


Além de facilitar o armazenamento de dados, a Transformação Digital possibilita, também, novos meios de comunicação. As mídias sociais, por exemplo, têm permitido cada vez mais a interação a distância. Por este canal, também é possível divulgar o seu produto/serviço, interagir com o público e prestar suporte.

Atualmente, cerca de 3,9 bilhões de pessoas estão online em todo o mundo. Por ter tomado proporções colossais é que se dá a necessidade das marcas se fazerem presentes nas vendas pela internet.

Isso porque é pela internet que a maioria dos clientes em potencial fazem as primeiras pesquisas sobre a solução que buscam. Por esse motivo, o Marketing Digital está mais em alta do que nunca.

Logicamente, se o comprador não encontrar as informações que procura sobre um produto ou serviço em específico (ou até mesmo sobre a marca em si), ele não só deixará de comprar, como também optará, possivelmente, por um concorrente.

Aqui na Pezzo, boa parte dos nossos processos acontecem digitalmente. Assim, é possível armazenar os dados necessários, fazer a comunicação com os clientes e mensurar a performance e números de áreas como as de Comunicação, Vendas, Finanças, Processos etc.

A Transformação Digital surge como uma forte aliada para as empresas, atuando em questões organizacionais, operacionais e para resultados mais positivos. Todo o processo tem como base o uso da tecnologia. Para uma organização manter-se visível no mercado, em especial as mais antigas, tal mudança é obrigatória.

Esse empreendedorismo digital resulta em maior valor para a marca, que estará mais evidente e terá maior facilidade em se comunicar com o seu público, aumentando a satisfação dos clientes e a produtividade. Os custos também sofrem impactos positivos, pois tornam-se menores, gerando assim, vantagens irrefutáveis.